_ “MACACO INFINITO”
_ “O Tempo Morto É Um Bom Lugar"
_ “Zero À esquerda“
_ “Somos Todos Um Bocado Ciganos”
_ “Uma Mentira Mil Vezes Repetida”
_ “AS SEREIAS DO MINDELO”
_ “aonde o vento me levar”
_ “Porto: Orgulho e Ressentimento”
_ “Os Olhos do Homem que chorava no rio”
_ “o silÊncio de um homem sÓ”
_ “OS FANTASMAS DE PESSOA”
_ “A MENINA GIGANTE”
_ “Oito Cidades e Uma Carta de Amor”
_ “PAIXÕES & EMBIRRAÇÕES”
_ “SERTÃO DOURADO”
_ “O AMOR É PARA OS PARVOS”
_ “As mulheres deviam vir com livro de instruções”
_ “Nome de Tango”
_ “Portugués, guapo y matador”
_ “O homem que julgou morrer de amor/O casal virtual”





"Romance breve e exacto, com o apuro verbal, o acerto rítmico e o controlo
narrativo de uma epopeia dos pequenos."
Hugo Pinto Santos
na revista Atual do Expresso

Um "livro que trabalha o mal e a exclusão com grande elegância".
Isabel Lucas
no Ípsilon do Público

"E, página a página, a melancolia não impede uma gargalhada, a ironia, o bom uso do calão, quase a ternura - e perdoem se isto parecer demasiado lamechas porque isso este livro não é."
Isabel Lucas
no Ípsilon do Público

"Num gesto que valida o título, o novo romance de Jorge Marmelo assegura que, se
o inferno são os outros, os outros somos nós todos. E isto não é moral de
pacote, é prosa a confirmar que a literatura, quando nos espelha os gestos e os
medos, costuma ser melhor companheira do pensar do que mil discursos bem
intencionados."
Sara Figueiredo Costa,
na Time Out

Mais informações no blogue umbocadociganos.blogspot.pt