_ “MACACO INFINITO”
_ “O Tempo Morto É Um Bom Lugar"
_ “Zero À esquerda“
_ “Somos Todos Um Bocado Ciganos”
_ “Uma Mentira Mil Vezes Repetida”
_ “AS SEREIAS DO MINDELO”
_ “aonde o vento me levar”
_ “Porto: Orgulho e Ressentimento”
_ “Os Olhos do Homem que chorava no rio”
_ “o silÊncio de um homem sÓ”
_ “OS FANTASMAS DE PESSOA”
_ “A MENINA GIGANTE”
_ “Oito Cidades e Uma Carta de Amor”
_ “PAIXÕES & EMBIRRAÇÕES”
_ “SERTÃO DOURADO”
_ “O AMOR É PARA OS PARVOS”
_ “As mulheres deviam vir com livro de instruções”
_ “Nome de Tango”
_ “Portugués, guapo y matador”
_ “O homem que julgou morrer de amor/O casal virtual”



kapa

“Um pequeno romance extremamente sensível, que primeiro parece resumir-se à evocação de um amor desfeito, às tentativas de explicação do fracasso, à rememoração de frases como a do título, por trás das quais se escondem emoções muito fortes, vontade de destruir os sentimentos e a atribulado nostalgia da breve fulguração da paixão”
Urbano Tavares Rodrigues
www.leitura.gulbenkian.pt


"A história gira à volta de um narrador que procura na memória uma paixão antiga.
(...)Sempre como se estivesse a falar para alguém
que um dia deixou um bilhete e se foi embora"
Jornal de Letras

"As palavras descobrem-se como matéria de que se alimenta o amor"
Linda Santos Costa
Leituras (PÚBLICO)


"Uma obra que vai certamente merecer a melhor crítica"
Correio da Manhã

"Desta vez não há distanciação irónica e o romance torna-se patético"
Linda Santos Costa
Leituras (PÚBLICO)


"Um monólogo íntimo, por vezes perturbador"
www.webboom.pt

"Deixa-se ler sem sobressaltos e sem paixão"
Linda Santos Costa
Leituras (PÚBLICO)


"Monólogo contra toda a sanidade, no último livro de um ficcionista exemplar"
Fernando Venâncio
Cartaz (Expresso)


"Uma investigação acerca da natureza do amor"
Linda Santos Costa
Leituras (PÚBLICO)


"É, na obra de Marmelo, um livro honesto, discreto, como um baixo relevo"
Fernando Venâncio
Cartaz (Expresso)