sereias


_ “MACACO INFINITO”
_ “O Tempo Morto É Um Bom Lugar"
_ “Zero À esquerda“
_ “Somos Todos Um Bocado Ciganos”
_ “Uma Mentira Mil Vezes Repetida”
_ “AS SEREIAS DO MINDELO”
_ “aonde o vento me levar”
_ “Porto: Orgulho e Ressentimento”
_ “Os Olhos do Homem que chorava no rio”
_ “o silÊncio de um homem sÓ”
_ “OS FANTASMAS DE PESSOA”
_ “A MENINA GIGANTE”
_ “Oito Cidades e Uma Carta de Amor”
_ “PAIXÕES & EMBIRRAÇÕES”
_ “SERTÃO DOURADO”
_ “O AMOR É PARA OS PARVOS”
_ “As mulheres deviam vir com livro de instruções”
_ “Nome de Tango”
_ “Portugués, guapo y matador”
_ “O homem que julgou morrer de amor/O casal virtual”



vento

“O último livro de Marmelo é, fundamentalmente, uma longa carta de amor”
África Today

“Contos? Romance? O livro de Manuel Jorge Marmelo poderá ler-se dos dois modos, até porque, confessa aqui e ali o autor-narrador, esteve para ser uma coisa e terminou noutra a incentivo e conselho de um tal Francisco (que se presume de apelido Viegas) - que em boa hora o fez, oferecendo-nos um livro muito maturado, que se degusta com enorme prazer nas muitas pequenas histórias que o compõem. Literatura de primeira água que pode também funcionar aqui como literatura de viagem”
Pedro Teixeira das Neves
www.pnetliteratura.pt


“Para desmontar esta teia de máscaras em cima da figura próxima de um escritor, fica o modo limpo como Manuel Jorge Marmelo escreve, o escorreito do seu pensamento, a maturidade. Se fala dos embaraços da alma humana é importante referir que terá das escritas mais desembaraçadas de todas; o texto desenvolve-se agilmente, muito ao sabor da pena mas sem embolias, o que é suportado pela clareza com que é capaz de expor os assuntos, criando afinal uma percepção inteligente sobre o que imagina e, desde logo, sobre essa tormenta de existir”
walter hugo mãe
www.pnetliteratura.pt