Soc.garcia.jpg (10075 bytes)
Sociedade Desportiva e Recreativa Garciense
Fundado em: 1 de Dezembro de 1936.
Sócios Fundadores: Manuel Ferreira, Manuel Henriques, Artur de Sousa, José Valente Sobrinho, Guilherme Lopes, Aníbal Nascimento e Manuel Frutuoso.
Cores: camisola branca, com riscas verticais azuis e calção preto.
N.º de Associados: 380 aproximadamente.
Contactos: Garcia, 2430 Marinha Grande / Telef. 244552531
 
Historial: Criada com o fim da convivência e o desenvolvimento da cultura e recreio dos habitantes do lugar da Garcia, a Sociedade é ainda hoje um local de reunião do povo onde se discutem os vários problemas do lugar e se lhes tenta dar solução. Foi aqui que nasceu a ideia de se construir o Posto Médico da Garcia, que tantos benefícios trouxe ao lugar e aos povos vizinhos, e cuja construção se fica a dever unicamente ao sacrifício dos seus habitantes, pois não teve ajudas das entidades responsáveis, salvo da Câmara Municipal da Marinha Grande que contribuiu com materiais.
A Desportiva Garciense começou por ter a sua sede social em casas alugadas, nomeadamente numa casa situada por detrás do Café Bela, depois numa casa de Maria Domingues, de seguida na casa onde consta ter vivido o poeta Rodrigues Lobo e posteriormente numa casa de Maria Caetana. A sua actividade, inicialmente, resumia-se aos jogos de cartas praticados durante a semana e à realização de bailes em alguns domingos. Mais tarde a sua actividade foi-se alargando ao ensaio de ranchos (contradanças) que actuavam especialmente por altura do Carnaval já que depois da quaresma "eram proibidas todas e quaisquer actividades profanas" por isso os associados viravam-se para os jogos de cartas, matraquilhos, ténis de mesa, chinquilho e também para a leitura.
Por volta de 1950 a sociedade comprou os terrenos onde está hoje instalada a sede social e que eram pertença de Maria Domingues e em 1 de dezembro de 1954 iniciou-se a construção da sede através de trabalho voluntário dos sócios, dos donativos conseguidos e o recurso ao crédito bancário. Em 1957 a sede da então Sociedade Recreativa Garcience seria inaugurada. O edifício, que sofreu em 1982 obras de beneficiação, é hoje uma boa sede, com salão de festas, sala de Direcção, palco para teatro, bar e outras dependências de utilidade.
O emblema foi criado por Joaquim Costa Pêssego ("Marreco") que também elaborou os estatutos provisórios, com base nos estatutos do Clube Oriental de Lisboa.
Apesar de toda a actividade associativa desenvolvida ao longo dos anos a Sociedade somente seria legalizada por despacho publicado no Diário do Governo nº215, 3º série de 14 de Setembro de 1967 altura em que foi introduzida a palavra "Desportiva" e fazendo remontar a sua fundação a 1/12/1954.
Na Sociedade Garciense já se tem praticado vários desportos, como futebol (daria origem ao Clube Desportivo da Garcia), ténis de mesa, voleibol, atletismo, chinquilho, etc. Em meados de 1973, por iniciativa de um grupo de jovens, foi criada a CCCD (Comissão coordenadora cultural e desportiva) e uma secção de Xadrez, organismos que tiveram o seu máximo desenvolvimento a partir do 25 de Abril do ano seguinte e nos quais colaboraram, entre outros, Helder Serra, Arménio Fortunato, Gama Diniz, etc.
No campo cultural também a Garciense desenvolveu grande actividade, como teatro cujo primeiro ensaiador foi Américo Nobre e mais tarde Arsénio Cruz, e os famosos "Jograis da Garcia" dirigidos inicialmente por José Francisco Duarte Calado e António F. Duarte Calado autores dos engraçados e divertidos textos sobre política local, ditos, quase sempre, em tom crítico e mordaz.
No campo recreativo tem sido tradição a pratica do ciclo-turismo, com a realização de caravanas ciclistas a vários recantos das Mata Nacional onde se convive e se pratica jogos e canto livre.
Sair

Ultima actualização: 14-04-2000