Operario.jpg (15656 bytes)
Sport Operário Marinhense
Fundado em: 31 de Janeiro de 1923.
Sócios Fundadores: Joaquim Gomes do Norte, José Vareda Júnior, José Ferreira Barroca, Luís António de Faria, David de Oliveira, Joaquim Henriques dos Santos, António Rodrigues Júnior, Firmino F. Rato, Benjamim Henriques, José Gaspar Pedroso Júnior, António Matos ("Melro") e José Florindo.
Cores: Amarelo e Verde.
N.º de Associados: 2.000 aproximadamente.
Contactos: Rua 25 de Abril, nº30 -  2430-313 Marinha Grande / Telef. 244 503 984 / Fax. 244 503 324.
E-Mail: sportop@mail.telepac.pt
 
Historial: A finalidade da sua fundação foi a promoção do futebol (modalidade que então se iniciava na província - o 1º Campeonato de Portugal realizou-se em 1921/22) embora a prática de outras modalidades e sobretudo a agremiação da classe operária estivesse na mente dos seus fundadores. O ciclismo (onde se evidenciou José Gaspar Pedroso Júnior ciclista de grande valor formado no Sport Operário e ídolo dos marinhenses nos finais dos anos 20) e o atletismo também chegaram a ser praticados no Clube.
A partir de 1930, dedicou-se somente a desportos de salão (ténis de mesa, onde, por volta de 1940, se viria a evidenciar António Saboga, o melhor jogador da região, bilhar e xadrez) e, principalmente, a uma secção cultural, que, a despeito das perseguições da PIDE (por vezes era encerrado pela polícia política), criou uma boa Biblioteca (por vezes encerrada e truncada pela PIDE que confiscava os livros. A título de exemplo - toda a obra de Miguel Torga) e dinamizou também colóquios, palestras e cursos de francês e inglês (cursos ministrados a partir do sistema "ASSIMIL" ( grande parte dos actuais empresários de moldes para plásticos foi ali que se iniciaram na aprendizagem do inglês), dirigidos pelos sócios Carlos Alexandre e Gualter Morais. Foi logo após a II Guerra, com a entrada para a Direcção de Agostinho Saboga, António Veloso, Manuel Calvete e outros que o Operário mais decisivamente passou a dedicar-se ao desenvolvimento cultural dos sócios, sendo até proibidos os jogos de cartas.
A sua primeira sede social estava instalada num prédio dos Matos (hoje Avª 1º de Maio), propriedade de António Maria Pereira. Em 1954 o clube alugou um salão para festas na Avª 1º de Maio (junto à Ivima e onde hoje é a fábrica de vidros Barbosa e Almeida) onde realizou teatro, saraus de música e bailes semanais. A sua sede social passara entretanto para um prédio da R. Pereira Crespo, nºs 9 a 11, onde se manteve por pouco tempo, passando então para a R. Alexandre Herculano onde se manteve até 1995 altura em que se mudou para as suas actuais instalações.
Na década de 40-50 o SOM adquiriu à Câmara Municipal da Marinha Grande uns terrenos situados no velho campo da Feira (mais ou menos onde hoje está situado o Pingo-Doce) com o intuito de aí construir um pavilhão-sede, sonho que nunca viria a concretizar por falta de verbas. No entanto foram esses terrenos que permitiriam, na década de 90, ao seu Presidente de então e grande dinamizador, Dr. José Henriques Vareda, negociar com a Câmara e com a COVINA, do que resultou ficar o clube de posse das velhas instalações da Fábrica "dos Bengalas" , propriedade da COVINA, e aí construir (mantendo a traça da velha fábrica - sob planta e orientação do Arquitecto Fava) as suas magníficas instalações sociais instaladas numa área de cerca de 7.500 m2, dos quais 3.000 são cobertos, compostas de Ginásio, balneários, bar, auditório, biblioteca, várias salas e salões amplos onde funcionam escolas de música e ballet, espaço criança e tempos livres, exposições várias, etc.
Actualmente a nível de desporto, tem sido praticado no Operário ginástica rítmica feminina e ginástica de manutenção masculina, judo infantil e juvenil, xadrez (possui uma excelente equipa com pergaminhos a nível nacional e a sua secção de xadrez organiza anualmente o Campeonato Nacional de Xadrez disputado em partidas Semi-Rápidas por equipas denominado Memorial Dr. José Vareda prova conceituada que conta com a presença de várias dezenas de xadrezistas vindos dos mais variados pontos do país. A sua 11ª edição será realizada nos dias 29 e 30 de Janeiro de 2000. O Operário organiza também o Torneio de Xadrez comemorativo do 25 de Abril) e voleibol com equipas masculinas e femininas a disputarem os nacionais. Sport Operário Marinhense organiza anualmente, durante o mês de Agosto, o Torneio de Voleibol de Praia de S. Pedro de Moel disputado na variante de quadras, prova com créditos firmados no panorama nacional e que no ano 2000 irá ter a sua 12ª edição.
A nível cultural saliente-se as frequentes exposições ali efectuadas, assim como colóquios e conferências (proferidas por notáveis conferencistas nomeadamente Prof. Bento de Jesus Caraça, Prof. Vieira de Almeida, Prof. António José Saraiva, Dr. Raul Machado, Dra. Cesina Bernardes, Prof. Urbano Tavares Rodrigues, Dr. Joaquim Namorado, Dr. Vasco da Gama Fernandes, Miguel Franco, José Saramago, Prof. Vital Moreira, Manuel da Fonseca, Dr. Mário Soares, Lauro António, entre outros), lançamentos e apresentação de livros de marinhenses e outros ("A Nu" de Arnaldo Matos; "Rimas ao Vento" de Arnaldo Fonseca; "Pedaços de Nós" de Sá Flores; "O Nome das Coisas" de Zita Seabra; "Sombra Fugidia" de Dra. Amélia Cândida; "Cravos Matizados" de Edmundo Órfão; "Viagens Truncadas em Tempo de Espera" de Dr. Cardona; "O Pérfido Martelo da Memória" de Luís Manuel; "Terra Templo" de Álvaro André) e espectáculos com artistas locais e nacionais (José Afonso, Ary dos Santos, Carlos do Carmo, Fernando Tordo, etc.). O operário já teve um grupo coral misto. Inicialmente o SOM criou um grupo de teatro cuja actividade foi interditada pela PIDE quando representava a peça de Luís Francisco Rebelo "O Mundo começou às 5 e 47". Hoje o Teatro continua em actividade tendo, sob orientação de Norberto Barroca, levado à cena entre outras uma peça inédita sobre a Marinha Grande com o título " A soprar se vai ao longe" que atingiu assinalável êxito.
 
Curiosidades: As cores amarelo e verde representam de certo modo uma homenagem ao Brasil. Tendo escolhidas pelo fundador Firmino Rato, que havia chegado pouco tempo antes do Brasil e a quem se ficou a dever a oferta do primeiro equipamento.
O Operário chegou a possuir um campo de futebol, o "campo da Biquinha" situado nos terrenos a sul do cemitério (junto à actual Avª da Liberdade, onde hoje são os pavilhões do Ciclo).
A meados da década de 80, praticou-se subbuteo, modalidade nova e que seria praticada durante pouco tempo. No entanto no Operário chegou a realizar-se um torneio internacional e o seu júnior Jorge Breda foi Campeão Nacional em 1985-86 e disputou o Campeonato Europeu realizado na Grécia tendo ficado em 17º lugar.
Nos Estatutos, redigidos em 1923, pode ler-se o seguinte: "Artº2º O Sport Operário Marinhense (...) terá por fim: § 1º - promover o desenvolvimento e a prática de todos os Desportos, de um modo geral, e do Ping-Pong em especial, tendentes todos a concorrer para a Educação Física dos seus associados. § 2º - promover na sede social, no campo atlético ou noutros locais qualquer género de festas recreativas, desportivas ou culturais, para os sócios ou suas famílias. § 3º - sempre que as condições financeiras lho permitam, o S.O.M. deverá ter aulas de ginástica para os sócios e suas famílias. § 4º - procurar por todos os meios, e especialmente através de Bibliotecas, da realização de sessões culturais (conferências, palestras, lições, recitais e exposições, teatro, cinema, etc.), de funcionamento de aulas de instrução primária e de outras disciplinas, concorrer para a cultura e formação moral e social dos seus associados e famílias."

Corpos Sociais

(Exercício 1999-2001)

.
Assembleia Geral

Direcção

Presidente Henrique José de Sousa Neto Presidente Leontina Tojeira Pereira
Vice-Presidente José Jacinto Silva Pereira Vice-Presidente Cesário A. Gonçalves Silva
1º Secretário Luis Filipe Vicente Pinto Directores Arnaldo Matos
2º Secretário Hermenegildo Conceição Silva Carlos Fernando Carvalho
Suplentes Artur Inácio Cadime Cristina Cardeira
Afonso Manuel Roldão Dina Morgado
. Eugénio Gaspar
Concelho Fiscal Fátima Bonifácio
Presidente Jorge Manuel Pedroso Oliveira Martins Isabel Ferreira
Secretário Telmo Lopes Silva Ferraz João Carlos Pedroso
Relator Manuel Franco Sobrinho Jorge Calvete
Suplentes José António Sequeira Gomes Leandro Costa
Ivo Sousa Ferreira Neto Manuel Freire
. Orminda Dengucho
Rodrigo Henriques
Rosa Santos Gomes
Rui Miranda
Vitor João Oliveira

Sair

Ultima actualização: 27-01-2004